segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Assassinatos na Rua Street- Parte 4


‘‘ Ele mora em Londres! Rua Street, apartamento Baker 114. Seu nome é James, quero que depois da minha morte mande esta carta a ele, se não isso nunca vai acabar. Em troca de sua ajuda, lhe ofereço uma das melhores informações que um detetive pode ter sobre um caso, lhe direi a próxima vítima do meu futuro assassino: James, o detetive. Devera ser entregue esta carta a ele não só para me ajudar, mas para si ajudar. Descubra quem esta por trás disso tudo, antes que ele venha atrás de você. ’’ Rachel.

-Então James? O que você sabe. – disse eu, espantadamente.
-Meu caro Carrick, uma vez você me disse que não sabia como eu resolvia estes casos do gênero que ocorrera a pouco tempo na Rua Street. Já lhe expliquei que você vê tudo que eu vejo! A única coisa que você não faz é deduzir como eu.
-James! Eu quase tive um enfarte para lhe trazer esta carta. Mais ainda por ver alguém naquela maldita casa, que agora descubro ser você buscando soluções! Então, por favor, me conte o que sabe!
-Entendo. Mas para que você saiba o que eu sei, tem que então seguir minhas deduções desde o início. - continuou. – Primeiro, peço-lhe que leia a carta e tente achar algo de diferente, algo estranho.
Li então, com cuidado a carta. Embora várias vezes relida, eu nada notei de estranho nela.
-Então?- perguntou James- Achou algo?
-Não vejo o que você vê! – respondi indignado.
-Você vê o que eu vejo. Só não deduz.
-Ora James! Conte logo o que você vê nesta maldita carta!
-Bom, se você deduzir o que eu deduzi, vai perceber que em todo momento a mulher não menciona o nome de quem é o assassino, é claro que talvez ela não saiba, e em seu estado de medo tenha tentado ao máximo me descrever o que sente. Mas veja: ela mesma sabe que vai morrer, e nem ao menos tentou pedir socorro, e mais, se ela sabia a minha localização por que não veio até mim?
-A única coisa que consegui deduzir até agora foi que além de morta, essa mulher era muito burra!
-Você não vê Carrick?! Não percebe?- gritou em seu momento de glória-. Rachel, a vítima que fora morta na rua Street há poucos dias nunca escreveu esta carta!

CONTINUA

Um comentário:

  1. Claro que não escreveu essa carta, quem escreveu foi o assassino.

    ResponderExcluir